x Logo Dr. Visao

Dr. Visão

Guia To Go

12 h 43

Quarta-feira, 23 08 2017

GUIA DE NOTÍCIAS

NOTÍCIA


11/04/2007

Mercado investe no desenvolvimento de tratamentos para a doença que pode levar a cegueira


Novas drogas favorecem pacientes com Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI)

O foco atual do segmento de oftalmologia é a busca por novos tratamentos para a Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI). Essa doença, que atinge, na maioria dos casos, a área central da retina, a mácula, é a principal causa de cegueira em pessoas maiores de 60 anos de idade nos países desenvolvidos.

A DMRI é uma doença que afeta indivíduos a partir dos 50 anos e se desencadeia pelo acúmulo de resíduos no espaço entre a retina e o epitélio pigmentar da retina (EPR), que serve de transporte de vitaminas e nutrientes para as células da própria retina. Essa concentração de resíduos, denominadas drusas, são visíveis em exames feitos por especialistas e devem ser monitoradas pelo resto da vida do paciente.

As drusas podem ser inofensivas, na maioria dos casos os pacientes não sentem alguma modificação na visão por conta delas. Mas, as drusas também podem desencadear os neovasos (pequenos vasos sanguíneos anormais), que podem levar às hemorragias na retina.

Segundo o Dr. Wagner Aragaki e a Dra. Nilva Moraes, oftalmologistas da Diagnósticos da América/ DASA, há diversos fatores que podem desencadear a DMRI como hereditariedade, alimentação, consumo de tabaco, excessiva exposição à luz solar, hipertensão arterial e doenças cardiovasculares. “Por conta disso, os laboratórios internacionais têm investido pesado na descoberta dos fatores associados e no desenvolvimento de novos tratamentos que possam curar ou estacionar o estágio da doença nos pacientes”, afirmam os especialistas.

Existem dois tipos de DMRI, seca e úmida. A seca, forma mais encontrada da doença, é ocasionada pelo aumento do número de drusas nas células da retina, o que acarreta uma leve atrofia do tecido, mas não causa hemorragias, nem grande perda da visão ou cegueira. Já na DMRI úmida ou hemorrágica, responsável de 10 a 15% dos casos, os neovasos crescem na retina, o que leva a hemorragia e pode originar a formação de manchas (escotomas) no olho do paciente, causando distorções e até cegueira.

“As novas medicações, que estão sendo desenvolvidas, são consideradas antiangiogênicas (que interrompem a produção de vasos sanguíneos) e prometem retardar a evolução da DMRI”, comenta a Dra. Nilva, especialista em Retina da DASA. Para ela, com a criação de novos tratamentos, todos os métodos diagnósticos nesta área terão que ser implementados, como a angiografia fluoresceínica, indocianinografia e tomografia de coerência óptica (OCT).

“Os pacientes portadores da DMRI e de outras doenças que acometem o fundo do olho e a retina, como a retiopatia diabética, ou as oclusões vasculares da retina em algumas formas de anemia e as inflamações retinianas, devem ser examinados periodicamente e acompanhados para a instituição dos tratamentos específicos o mais brevemente possível, completa a Dra Nilva.

Sobre a DASA

A Diagnósticos da América S/A é a maior empresa de medicina diagnóstica da América Latina e a quarta maior rede do mundo. Com cerca de 7 mil colaboradores, atende aproximadamente 20 mil pacientes por dia em mais de 240 unidades, processando em média 2,5 milhões de exames por mês. Oferece 3 mil tipos de exames de análises clínicas e diagnóstico por imagem. Atualmente, o grupo é formado por 14 marcas em nove estados – Delboni Auriemo e Lavoisier (São Paulo/SP); Lâmina e Bronstein (Rio de Janeiro e Niterói/RJ); Curitiba Santa Casa e Frischmann Aisengart (Curitiba/PR); Laboratório Alvaro (Cascavel e Foz do Iguaçu/PR) Pasteur (Brasília/DF), MedLabor (Brasília/DF, Palmas/TO e Valparaíso/GO), Image Memorial (Salvador/BA), LabPasteur (Fortaleza/CE) e Club DA (Rio de Janeiro/RJ e São Paulo/SP) ,VITA (Florianópolis) e Atalaia (Goiânia/GO).

Imagem Corporativa

  • Seu nome

    Seu Comentário

    Seja o primeiro a comentar esta notícia, CLIQUE EM COMENTAR

Este Portal é um veículo de conteúdo, informação e divulgação sobre assuntos relacionados a oftalmologia (IMPRENSA), todo conteúdo veiculado é de responsabilidade de seus autores. NUNCA deixe de consultar o seu médico oftalmologista.
TEMAS
Portal DR. VISÃO - Todos os direitos reservados - ® 2000 - 2011