x Logo Dr. Visao

Dr. Visão

Guia To Go

03 h 41

Quinta-feira, 25 Maio 2017

GUIA DE NOTÍCIAS

NOTÍCIA


06/09/2007

Sugestão de pauta: Saúde!

Como vc deve estar sabendo começa hoje (03/09) a 06 de setembro, acontecerá
o Congresso de Oftalmologia em Brasília e a APOS Associação dos Portadores
de Olho Seco participará com estande na feira, dando informações sobre a ONG
e sobre a doença.

Segue a sugestão que estamos divulgando sobre a Síndrome do Olho Seco,
segunda maior causa de atendimento nos consultórios oftalmológicos e que se
agrava com esse clima típico de São Paulo devido ar seco, poluição, etc.
A doença atinge 10% da população e a maior parte desconhece os tratamentos.

Temos como porta-voz o Dr. José Alvaro que é oftalmologista, professor da
Unifesp e presidente da APÓS - Associação dos Portadores de Olho Seco e
estará no Congresso.

Você acha que tem o perfil?

Por favor, me envie um reply da mensagem dizendo se há interesse.
Desde já, obrigada pela atenção!

Clima típico do inverno de São Paulo: seco, frio, vento, dia ensolarado e
poluição, podem aumentar a evaporação da lágrima e causar a Síndrome do Olho
Seco.

A Síndrome é a segunda maior causa de atendimento nos consultórios.
Oftalmologistas alertam para o tratamento correto para evitar lesões que
podem a desconforto e baixa da visão

  O Clima de inverno na cidade de São Paulo pode agravar várias
doenças típicas da época. Uma delas é a Síndrome do Olho Seco, que afeta
cerca de 10% da população adulta em todo o mundo e muitas delas sofrem
desnecessariamente porque não sabem que o problema tem tratamento. Olho Seco
é a segunda maior causa de atendimento nos consultórios oftalmológicos,
depois de refração, e quando não diagnosticada e corretamente tratada, pode
evoluir para lesão da superfície ocular e, em alguns casos, até à perda da
visão.

O olho seco é uma doença crônica, caracterizada pela diminuição da produção
da lágrima ou deficiência em alguns de seus componentes, ou seja, pouca
quantidade e/ou má qualidade da lágrima. Os sintomas são de ardor,
irritação, sensação de areia nos olhos, dificuldade para ficar em lugares
com ar condicionado ou em frente do computador e olhos embaçados ao final do
dia. 

No Brasil, estima-se que cerca de 18 milhões de pessoas sofrem com a doença.
A doença está relacionada à exposição a determinadas condições do meio
ambiente (poluição, computador), idade avançada, menopausa nas mulheres,
medicamentos (anti-histamínicos, anti-hipertensivos, anti-depressivos), uso
incorreto de lentes de contato, trauma (queimaduras térmica e química),
doenças reumatológicas, e outras doenças do sistema imunológico (Penfigóide,
síndrome de Stevens-Johnson).

Embora pareça um aborrecimento menor, a Síndrome do Olho Seco é
potencialmente séria, pois pode causar processo inflamatório crônico
perpetuando a falha da lubrificação pelos componentes da lágrima, essencial
para a manutenção da vitalidade das células da superfície ocular. Este
distúrbio pode produzir áreas secas sobre a conjuntiva e córnea, o que
facilita o aparecimento de lesões.

Existe no Brasil uma associação, a APOS, Associação dos Portadores de Olho
Seco, que oferecer apoio, educação e informação a todos os familiares e
pacientes com Olho Seco.

Pílulas

* Uma das causas do Olho Seco é a Síndrome de Sjögren, uma doença
auto-imune crônica, em que o sistema imunológico do próprio corpo do
paciente erroneamente ataca as glândulas produtoras de lágrimas e saliva.
       
* A doença também está relacionada à exposição a determinadas
condições do meio ambiente (poluição e computador).
              
* Lugares fechados com aparelhos de ar condicionado podem aumentar a
evaporação dos líquidos dos olhos e causar a doença.
             
* No Brasil, estima-se que cerca de 18 milhões de pessoas sofrem com a
doença.

DADOS: 
 
* No Brasil, estima-se que cerca de 18 milhões de pessoas sofrem com a
doença.

* 10% da população adulta têm o Olho Seco.

* Nove entre dez pessoas com a síndrome são mulheres

* 90% dos casos da síndrome do olho seco podem ser tratados com uso de
colírios de lágrima artificial e outros tratamentos clínicos. No entanto, há
casos mais graves de pacientes que não produzem nenhuma lágrima. Nestes
casos, uma das soluções é o transplante da glândula salivar.

* Estudos realizados até agora indicam que 90% dos casos estão
relacionados à redução natural da produção de lágrimas como conseqüência do
envelhecimento - aos 65 anos, o organismo produz 60% menos lágrimas do que
aos 18 anos. A prevalência é maior no sexo feminino e o problema é agravado
na menopausa devido às mudanças hormonais.

* Nos Estados Unidos, a doença afeta 3,2 milhões de mulheres a partir
da meia-idade (40 anos).

* Estudos indicam que 90% dos casos de síndrome do olho seco estão
relacionados ao envelhecimento já que o organismo nessa fase produz 60%
menos lágrima.

* Além do envelhecimento natural, prevalecem nos outros 10% dos casos
fatores como a exposição a determinadas condições de meio ambiente, doenças
reumatológicas, efeitos colaterais de alguns medicamentos (ex:
anti-histamínicos, anti-depressivos, anti-hipertensivos e outros),
queimadura ocular química ou térmica, uso de lentes de contato, e outras
doenças auto-imunes

* Estudo realizado por médicos de Boston, nos Estados Unidos, concluiu
que mulheres na pós-menopausa que tomaram estrógeno (hormônio feminino), têm
70% a mais de chances de desenvolver a chamada "Síndrome do Olho Seco" do
que as outras que nunca tomaram o hormônio. Entre as que ingeriram estrógeno
e progesterona, as chances cresceram 30%.

* Entre as que ingeriram estrógeno e progesterona, as chances
cresceram 30%. Mais de três milhões de mulheres que passaram da menopausa
podem estar sofrendo com os sinais de ardor, irritação, sensação de areia
nos olhos, dificuldade para ficar em lugares com ar condicionado ou em
frente do computador e olhos embaçados ao final do dia.


Comunicação Empresarial

  • Seu nome

    Seu Comentário

    Seja o primeiro a comentar esta notícia, CLIQUE EM COMENTAR

Este Portal é um veículo de conteúdo, informação e divulgação sobre assuntos relacionados a oftalmologia (IMPRENSA), todo conteúdo veiculado é de responsabilidade de seus autores. NUNCA deixe de consultar o seu médico oftalmologista.
TEMAS
Portal DR. VISÃO - Todos os direitos reservados - ® 2000 - 2011