x Logo Dr. Visao

Dr. Visão

Guia To Go

13 h 22

Terça-feira, 25 Abril 2017

GUIA DE NOTÍCIAS

NOTÍCIA


13/08/2004

Hipermetropia evolui nos primeiros anos de vida senão for tratada.

A hipermetropia, dificuldade para enxergar de perto, é um dos problemas oculares mais encontrados em crianças e na população como um todo. Para se ter uma idéia, é estimado que 55% das pessoas apresentem hipermetropia, sendo que seu aumento ocorre nos primeiros anos de vida. Isso é o que mostra um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais, que teve como objetivo avaliar a evolução da hipermetropia na infância. <br><br> De acordo com artigo publicado na edição de janeiro/fevereiro de 2004 dos Arquivos Brasileiros de Oftalmologia, alguns autores constataram aumento da hipermetropia nos primeiros anos de vida, outros afirmam que todos são hipermétropes ao nascer e também é observada elevação e diminuição da hipermetropia na primeira infância. Dessa forma, os pesquisadores explicam que "como indivíduos com elevado grau de hipermetropia possuem maior probabilidade de desenvolverem estrabismo, ou seja, ficarem vesgos, e ambliopia - diminuição da acuidade visual -, é fundamental que esse erro refrativo seja identificado de forma mais precisa possível e que se saiba como ele evolui durante o período de desenvolvimento visual". <br><br> O trabalho foi realizado através da análise de 67 prontuários de crianças atendidas nos serviços de Estrabismo dos Hospitais São Geraldo e Infantil São Camilo em Belo Horizonte, Minas Gerais, entre os anos de 1970 e 2001, e que tiveram seu primeiro exame com até, no máximo, três anos de idade. A idade final de acompanhamento das crianças variou de 5 a 10 anos, o que proporcionou um tempo médio de seguimento dos pacientes de cerca de oito anos. O número de consultas variou de três a oito.Os pesquisadores constataram que a hipermetropia apresenta uma pequena elevação nos primeiros anos de vida: "o aumento da hipermetropia em relação ao primeiro ano se tornou estatisticamente significativo a partir do 3º ano, mantendo-se desta forma até o 8º ano de idade". Por isso, eles alertam quanto a uma possível ambliopia ou sintomas de baixa concentração em leituras prolongadas. "O papel da hipermetropia como importante indutor de ambliopia já é bem conhecido. Além disso, como os vícios refrativos têm influência significativa no estrabismo, é importante sua determinação precoce e de maneira acurada. Acredita-se que tal problema visual deva ser corrigido na totalidade, logo que diagnosticado em pacientes", ressaltam no artigo.
Agência notisa

  • Seu nome

    Seu Comentário

    Seja o primeiro a comentar esta notícia, CLIQUE EM COMENTAR

Este Portal é um veículo de conteúdo, informação e divulgação sobre assuntos relacionados a oftalmologia (IMPRENSA), todo conteúdo veiculado é de responsabilidade de seus autores. NUNCA deixe de consultar o seu médico oftalmologista.
TEMAS
Portal DR. VISÃO - Todos os direitos reservados - ® 2000 - 2011