x Logo Dr. Visao

Dr. Visão

Guia To Go

03 h 13

Segunda-feira, 21 08 2017

GUIA DE NOTÍCIAS

NOTÍCIA


09/08/2010

Aparelho facilita o monitoramento de tumores oculares

O Inca (Instituto Nacional de Câncer) adquiriu um equipamento que facilita o diagnóstico e o monitoramento dos tumores oculares, importante, principalmente, nos casos de retinoblastoma.

Detectado tradicionalmente por meio do exame de fundo de olho, esse tipo de tumor na retina responde por entre 2% e 4% dos casos de câncer em crianças e costuma aparecer até os três anos de idade.

De acordo com o oftalmologista Evandro Lucena, do Inca, as vantagens do aparelho, batizado de RetCam 3, começam já na visualização do tumor. A imagem da retina, captada por uma câmera de alta resolução, é exibida em um monitor e pode ter cor e brilho ajustados. "É como se antes a gente tivesse um raio-X e agora passasse a ter uma super-ressonância magnética", compara o médico.

Outra novidade é a opção de armazenar as imagens feitas durante os exames. O retinógrafo, aparelho normalmente usado para fotografar a retina, exige que o paciente deixe a cabeça parada sobre um apoio. Essa missão é quase impossível no caso de crianças pequenas.

Esse método também não permite registrar as imagens. "O acompanhamento acaba sendo feito com base nas anotações, nos desenhos e na memória do médico", explica Mário Motta, presidente da Sociedade Brasileira de Oftalmologia e da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo.

Com o RetCam, o médico pode gravar ou imprimir as imagens captadas pela câmera que, por ser acoplada a uma espécie de pistola, dá ao oftalmologista mais mobilidade. "O aparelho se adapta à posição em que a criança está", diz Motta.

Em São Paulo, a máquina já é usada no Hospital São Paulo, da Unifesp, que faz atendimentos pelo SUS.

TRATAMENTO

Lucena, do Inca, explica que o aparelho será importante, principalmente, no monitoramento da doença. Com o registro e a medição dos tumores, o profissional tem mais condições de avaliar a resposta ao tratamento.

Atualmente, a maioria dos pacientes é submetida a químio, laser ou radioterapia.

Em alguns casos, é preciso remover o olho atingido. "O retinoblastoma é agressivo e, quando há metástase, o tratamento é muito difícil", explica Lucena. Segundo ele, o mais comum é a doença evoluir para gânglios, sistema nervoso central e ossos.

O sinal mais característico da doença é uma mancha esbranquiçada no olho, visível principalmente em fotografias tiradas com flash.
Uol

  • Seu nome

    Seu Comentário

    Seja o primeiro a comentar esta notícia, CLIQUE EM COMENTAR

Este Portal é um veículo de conteúdo, informação e divulgação sobre assuntos relacionados a oftalmologia (IMPRENSA), todo conteúdo veiculado é de responsabilidade de seus autores. NUNCA deixe de consultar o seu médico oftalmologista.
TEMAS
Portal DR. VISÃO - Todos os direitos reservados - ® 2000 - 2011