x Logo Dr. Visao

Dr. Visão

Guia To Go

00 h 35

Domingo, 23 Abril 2017

GUIA DE NOTÍCIAS

NOTÍCIA


09/12/2010

A carga econômica da cegueira

Aumento da expectativa de vida elevou número de casos da doença que pode trazer perda financeira para o país

Mais de 3,7% dos brasileiros foram aposentados por invalidez e ficaram incapacitados para o trabalho em função de problemas no olho ou anexo nos últimos anos, de acordo com os dados do Ministério da Previdência Social. A deficiência visual severa é responsável pela grande quantidade de pessoas cegas com idade entre 30 e 75 anos de idade, período em que ele está economicamente ativo. Preocupado com essa realidade, o Conselho Brasileiro de Oftalmologia lança o Programa de Incentivo à Educação do Paciente que tem como objetivo contribuir para a prevenção da cegueira e levar conceitos de saúde ocular para toda a população brasileira.

_A perda da visão também implica na redução da qualidade de vida, decorrente de restrições ocupacionais, econômicas, sociais e psicológicas. Para a sociedade, representa encargo oneroso e perda de força de trabalho. Essa condição incapacita o indivíduo, aumenta sua dependência, reduz sua condição social, sua autoridade dentro da família e da comunidade e o aposenta precocemente da vida_ avalia o presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, o médico Paulo Augusto de Arruda Melo.

A carga econômica da cegueira é significativa para o individuo, para a família e para a sociedade, o que significa que o indivíduo deve apresentar uma boa capacidade visual para que possa desempenhar o seu papel na comunidade. A pessoa com baixa acuidade visual tem diminuição de sua autoestima, depressão, maior probabilidade de trauma por quedas, produtividade diminuída e acarreta gastos extras para a família, comunidade e Governo.
"Uma das principais preocupações é a catarata. Essa doença torna limitadas as pessoas que estão fisicamente bem. É um grande sofrimento para a pessoa, para a família e para a sociedade", avalia o presidente do CBO.
A catarata é considerada a principal causa de cegueira no Brasil e o impacto financeiro que essa doença traz é grande. Os custos diretos incluem o tratamento de doenças oculares, incluindo a parcela relevante de custos para a execução de serviços médicos e de serviços de saúde aliados, enquanto os custos indiretos incluem os ganhos perdidos - subsídios visuais, equipamentos, modificações em casa, reabilitação, bem estar e morte prematura por deficiência visual. Estudos recentes sugerem que a restauração da visão pela cirurgia de catarata produz benefícios econômicos e sociais para a família, para o indivíduo e para a sociedade e aumentam produtividade anual do paciente operado em cerca de 1500% do valor do custo da cirurgia.

O Programa de Incentivo à Educação do Paciente do CBO inclui um kit com material educativo e apresentações para realização de palestras por médicos oftalmologistas. Nele, há duas cartilhas com informações para a população sobre como evitar acidentes oculares mais comuns e sobre a importância dos cuidados com a visão nas diferentes fases da vida.

"Nossa intenção é incentivar e potencializar a discussão do assunto com os pacientes como forma de prevenção e diagnóstico precoce da doença. Com isso, esperamos promover a atenção e conscientização da população quanto à importância das ações preventivas em doenças passíveis de controle e tratamento, com potencial de cegueira irreversível, como o glaucoma e retinopatia", explica Arruda Melo.

A iniciativa do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) também tem como objetivo contribuir para reduzir drasticamente a cegueira evitável até o ano de 2020.

NÚMEROS DA CEGUEIRA

• Dados do Ministério da Previdência Social – Mais de 72 mil pessoas, o que representa 3,7% da população, estavam aposentadas por problemas causados por transtorno da doença do olho e anexos – Setor Urbano. (Dados mais recentes – 2008).
• Cegueira no mundo - Estimada uma prevalência de 45 milhões de casos e uma incidência de novos casos de 3.000 por milhão de habitantes por ano.

Saiba mais sobre as principais doenças que podem levar à cegueira
Catarata: é definida como qualquer opacificação do cristalino que atrapalhe a entrada de luz nos olhos, acarretando desde a diminuição da visão até a cegueira. Aproximadamente 85% das cataratas ocorrem na população acima de 50 anos, mas o problema também pode acometer crianças, por isso é importante manter a rotina do exame oftalmológico. A correção cirúrgica é a única opção para recuperação da capacidade visual do portador de catarata.

Glaucoma: doença ocular que provoca lesão no nervo óptico e campo visual, podendo levar à cegueira. Na maioria dos casos, vem acompanhada de pressão intraocular elevada, mas pode ocorrer glaucoma de “baixa pressão”. Em geral, o tratamento é feito com colírios. A cirurgia se torna opção quando o tratamento clínico não apresenta resultados satisfatórios. O glaucoma pode ser: congênito (presente no nascimento, os recém-nascidos apresentam globos oculares aumentados e córneas embaçadas. O tratamento é cirúrgico), secundário (ocorre como consequência de cirurgia ocular, diabetes, traumas ou uso de corticóides) e crônico (costuma atingir pessoas acima de 35 anos de idade. Se a doença não for tratada, pode levar à cegueira. Por isso, o exame oftalmológico anual, preventivo, é fundamental para detecção e tratamento precoce)

Retinopatia Diabética: a diabetes é uma doença progressiva, que afeta, entre outras áreas do corpo, os vasos sanguíneos do olho. As pessoas que tem diabetes apresentam um risco de perder a visão 25 vezes maior do que as demais. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a retinopatia diabética atinge mais de 75% das pessoas que têm diabetes há mais de 20 anos. O controle cuidadoso do diabetes, com uma dieta adequada, e acompanhamento médico são as principais formas de evitar o desenvolvimento da retinopatia diabética. Para manter a visão, diabéticos devem passar rotineiramente por uma consulta oftalmológica.

Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI): ocorre geralmente depois dos 60 anos de idade e afeta a área central da retina (mácula). A DMRI causa baixa visão central (mancha central) dificultando principalmente a leitura. Os danos à visão central são irreversíveis, mas a detecção precoce e os cuidados podem ajudar a controlar alguns dos efeitos da doença.
JorNow

  • Seu nome

    Seu Comentário

    Seja o primeiro a comentar esta notícia, CLIQUE EM COMENTAR

Este Portal é um veículo de conteúdo, informação e divulgação sobre assuntos relacionados a oftalmologia (IMPRENSA), todo conteúdo veiculado é de responsabilidade de seus autores. NUNCA deixe de consultar o seu médico oftalmologista.
TEMAS
Portal DR. VISÃO - Todos os direitos reservados - ® 2000 - 2011