x Logo Dr. Visao

Dr. Visão

Guia To Go

14 h 09

Sábado, 24 Junho 2017

GUIA DE NOTÍCIAS

NOTÍCIA


19/04/2011

Técnicas combinadas inibem doença na córnea

Associação de procedimentos reduz perda visual provocada pelo ceratocone. Só 37% dos portadores descobrem a doença logo no início!

Visão embaçada, enxergar imagens fantasmas ou duplas, fotofobia e mudança frequente no grau dos óculos são problemas vividos por 1 em cada 2000 brasileiros. São portadores de ceratocone. A doença que geralmente aparece na adolescência, responde por 70% dos transplantes de córnea. Isso porque, afina e dilata a porção central responsável pelo eixo da visão, induzindo à miopia e ao astigmatismo.
De acordo com o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, a boa notícia é que a combinação de procedimentos pode adiar e até impedir o transplante. O maior desafio do ceratocone, afirma, é o diagnóstico precoce. A prova disso é um levantamento que acaba de fazer nos prontuários de 504 portadores atendidos no hospital durante os últimos três anos. Mostra que só 186 (37%) descobriram a doença logo no início. Para piorar, 9 em cada 10 declaram que são alérgicos e por isso costumam coçar os olhos. “A fricção frequente das pálpebras fragiliza as fibras de colágeno da córnea e pode acelerar a evolução do ceratocone”, afirma. Quando maior a progressão, ressalta, mais complexo e caro se torna o tratamento. Para diminuir a alergia alguns pacientes precisam usar colírio anti-histamínico que só deve ser aplicado sob supervisão médica já a coceira pode não ser decorrente de alergia, alerta. A dica do médico para diminuir o desconforto sem colocar a saúde dos olhos em risco é usar sobre as pálpebras compressas de água filtrada gelada.

Tratamentos mais eficazes

Queiroz Neto diz que a combinação de terapias potencializa o resultado do tratamento. No grupo de pacientes avaliados pela equipe do hospital os resultados alcançados nas associações terapêuticas e tratamentos isolados foram:

TERAPIA

PROPOSTA

RESULTADO

Crosslink  riboflavina (vitamina B2) + ultravioleta

Aumentar a resistência da córnea e estabilizar a doença

Estabilização de 70% do ceratocone inicial e intermediário

Implante de anel

Aplanar e evitar o transplante da córnea

Evita 80% dos transplantes.

Crosslink + PRK (refrativa por excimer laser)

Mais resistência e acuidade

Estabilização e ganho de acuidade visual em 95% dos casos.

Crosslink +anel

Enrijecimento e estabilidade da córnea para evitar o transplante

Evita 90% dos transplantes


O médico explica que o intervalo entre um procedimento e outro deve ser de seis meses. Ele diz que a introdução do laser femtosecond na oftalmologia tornou o implante de anel mais seguro e previsível. Tanto que a precisão da profundidade do corte a laser diminuiu o tempo de recuperação do implante de anel de 90 para 30 dias. O procedimento se tornou menos perigoso, inclusive para portadores de ceratocone com maior afinamento da córnea.
"Alguns pacientes que já estavam inscritos na fila de córnea se livraram do transplante com o implante a laser do anel associado ao crosslink", afirma. Para ele mais estudos precisam ser feitos sobre as novas terapias, mas o número de transplantados por causa da doença só tende a cair.

LDC Comunicação

  • Seu nome

    Seu Comentário

    Seja o primeiro a comentar esta notícia, CLIQUE EM COMENTAR

Este Portal é um veículo de conteúdo, informação e divulgação sobre assuntos relacionados a oftalmologia (IMPRENSA), todo conteúdo veiculado é de responsabilidade de seus autores. NUNCA deixe de consultar o seu médico oftalmologista.
TEMAS
Portal DR. VISÃO - Todos os direitos reservados - ® 2000 - 2011