x Logo Dr. Visao

Dr. Visão

Guia To Go

03 h 05

Quarta-feira, 24 Maio 2017

GUIA DE NOTÍCIAS

NOTÍCIA


23/04/2014

Cuidados simples podem prevenir doenças oculares

A consulta ao médico oftalmologista deve ser feita uma vez por ano

A conjuntivite é uma das doenças que mais acometem os olhos. Porém, se a pessoa tiver uma boa conduta com o órgão da visão diariamente, há uma grande chance de evitar ou transmitir este tipo de enfermidade, que inflama a conjuntiva, membrana transparente e fina que reveste a parte da frente do globo ocular (o branco dos olhos) e o interior das pálpebras. Não usar objetos comuns, ter a própria toalha de rosto, usar lenço de papel, não levar as mãos aos olhos, manter as mãos higienizadas, podem impedir que a pessoa dissemine a infecção ocular.

Existem várias formas de conjuntivite, e, geralmente, são altamente contagiosas. Os sintomas são coceira, irritação, dor, fotofobia, mal-estar e, às vezes, até febre. As principais causas de conjuntivites são as bactérias, fungos, vírus e reações alérgicas. "Nas conjuntivites virais, praticamente todos os tipos são contagiosos", alerta o especialista em oftalmologia e professor da Faculdade de Medicina da Pontíficia Universidade Católica (PUC-Sorocaba), João de Campos Aguiar Filho. 
Há as que acontecem normalmente em municípios mais ligados à produção rural, onde o pólen das plantas circula livremente e atinge as pessoas sensíveis. Porém, os casos alérgicos são mais variados, porque há como ter alergia sem saber, como por animais domésticos e maquiagem. 

De acordo com Aguiar Filho, as alternativas a fim de curar o olho são enormes. "Leite de mulher, água do sereno, vale do não sei o que; parece brincadeira, mas é verdade. No leite realmente há anticorpos, mas não o suficiente." Cada conjuntivite tem o tratamento adequado, de acordo com sua natureza. Nas bacterianas são utilizados colírios antibióticos. Já com os virais esses antibióticos não funcionam. "É muito comum ir à farmácia e pegar este colírio antibiótico. Às vezes, é caro e não tem ação nenhuma", explica. Segundo o médico, o tratamento do viral é lavar os olhos com frequência com água ou soro fisiológico e também utilizar colírios mais simples. Na alérgica, é preciso evitar entrar em contato com a substância causadora da alergia.


Surto na cidade

Em Sorocaba, há cinco anos, houve um grande surto de conjuntivite aguda provocada por um vírus, com uma disseminação rápida. "Os médicos forneceram grande número de atestados de trabalho e para escolas devido ao fato de ser portador de conjuntivite aguda." Com o isolamento, é possível evitar o contágio.
A piscina é um fator de risco nas épocas de conjuntivites epidêmicas. Portanto, é preciso ter cuidado e não frequentá-la, a não ser que essa água tenha um tratamento confiável e os sócios do clube sejam conscientes. "Eles devem pensar: estou com conjuntivite, então não entrarei", exemplifica. Já no mar é mais difícil o controle, e está sujeito à contaminação.
A frequência com que se deve ir ao oftalmologista é uma vez por ano, de acordo com Aguiar Filho. Porém, no Brasil, é raro ver pessoas seguindo esse cronograma. Então, pelo menos a cada cinco anos já é interessante. "As causas mais comuns de cegueira estão relacionadas com vários assuntos, como a catarata não operada, que é uma cirurgia simples." Ou seja, exames rotineiros podem evitar diversas enfermidades.

Outros problemas

Para o estrabismo existem oftalmologistas que cuidam apenas da motricidade ocular. ""Quando olhamos a uma distância superior a 5 metros, os olhos devem estar paralelos. O movimento é feito por músculos que atuam em conjunto, contudo, quando há desequilíbrio, ocorre o estrabismo. Deve ser corrigido por correção ótica ou até mesmo cirurgia", elucida. 
De acordo com o médico, é comum encontrar pessoas com olho vermelho com hemorragia subconjuntival. "Ficam altamente apreensivas, porque o olho está vermelho. Porém, é mais feio do que grave." A atenção deve focar na hemorragia interna do olho, que não se vê, mas perde a visão. Portanto, o exame de rotina é essencial - que verifica se há hemorragia.
Já a "viuvinha" é uma inflamação da raiz dos cílios. A pálpebra fica ligeiramente inflamada, com coceira e ardência. Outra que acomete os olhos é a retenção da secreção sebácea dentro das glândulas do interior da pálpebra. "Esta não tem problema, a não ser quando cresce e passa a incomodar." 

É preciso também ter cuidado com algum corpo estranho que invada a córnea. "Se o trabalhador teimar em não usar os óculos de segurança recomendados. Assim, os olhos podem ser atingidos por faíscas, fagulhas. O corpo estranho mergulha na córnea, fica preso e necessita de intervenção cirúrgica."
A lágrima limpa e protege o olho das substâncias estranhas ou micro-organismos. A falta de vitamina A no organismo pode fazer com que o olho fique seco, assim produzindo pouca lágrima (ou não tenha). Assim, recomenda-se os colírios lubrificantes e o soro fisiológico. (Supervisão: Cida Vida) 

Cruzeiro do Sul

  • Seu nome

    Seu Comentário

    Seja o primeiro a comentar esta notícia, CLIQUE EM COMENTAR

Este Portal é um veículo de conteúdo, informação e divulgação sobre assuntos relacionados a oftalmologia (IMPRENSA), todo conteúdo veiculado é de responsabilidade de seus autores. NUNCA deixe de consultar o seu médico oftalmologista.
TEMAS
Portal DR. VISÃO - Todos os direitos reservados - ® 2000 - 2011